Inaugurado em 1953, o Cambridge foi durante três décadas um dos mais exclusivos hotéis da cidade. Com uma área construída de 8,6 mil metros quadrados, 94 apartamentos, um grande bar, restaurante e salão de beleza, era símbolo da elegância até o centro histórico, em meados dos anos 70, começar a se tornar ponto de passagem para o tráfego de automóveis cada vez maior entre regiões da cidade. Não era mais chique se hospedar na barulhenta e movimentada 9 de julho. O bairro começou a perder moradores para se tornar, ao longo de anos, uma área de trânsito de milhões de pessoas, poucos habitantes e muitos prédios abandonados. O Hotel Cambridge fechou as portas em 2002 e o prédio ficou fechado até a ocupação, em 2012.

 

Em 2009, a Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab), em parceria com a Fundação para Pesquisa Ambiental (FUPAM/Universidade de São Paulo), listou 221 imóveis abandonados e aptos para habitação no centro, dos quais 53 passíveis de desapropriação. Entre eles, o antigo Hotel Cambridge. Em 2011, o prédio foi desapropriado pela prefeitura de São Paulo, tornando-se um bem público. "Quando a gente ocupou aqui, em 2012, sabíamos que este prédio seria devolvido para o mercado imobiliário", explica Carmen Silva, coordenadora do MSTC. Nas primeiras semanas depois da ocupação, os moradores retiraram mais de 25 caminhões de lixo do prédio. Cinco anos depois, em 2017, moravam na Ocupação Cambridge 171 famílias, cerca de 500 pessoas.

 

O MSTC, em 2015, participou de um chamamento da Cohab, com apoio de assessoria técnica e entidades de arquitetura e urbanismo, para tornar o prédio parte da política de habitação da cidade. Em 2 de fevereiro de 2016 saiu o resultado do edital: aprovado! Também foram conquistados recursos do programa Minha Casa, Minha Vida para a reforma, que inclui revitalização do prédio e adaptação dos antigos quartos para apartamentos. No dia 19 de dezembro de 2016, a prefeitura de São Paulo transferiu a posse do Edifício da Ocupação Cambridge para o MSTC e, hoje, o Residencial Cambridge está sendo transformado. 

 

Em 2014, a Ocupação Cambridge foi tema do filme Era o Hotel Cambridge, dirigido por Eliane Caffé. Criação coletiva entre MSTC, Grupo Refugiados e Imigrantes Sem Teto (GRIST) e Escola da Cidade, o filme narra a trajetória de um grupo de refugiados que divide com os sem-teto uma ocupação no centro de São Paulo. Na tensão diária pela ameaça de despejo, revelam-se pequenos dramas, alegrias e diferentes visões de mundo. O filme de Eliane Caffé, percorreu festivais de cinema no mundo e recebeu diversos prêmios, entre eles, na 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo | Melhor Filme (Voto Popular) – 2016, Melhor longa-metragem internacional e latino-americano no 8º Festival Internacional Cinemigrante, Prêmio FIPRESCI da Crítica, Melhor Filme (Voto Popular) e Montagem no 18º Festival Internacional do Rio de Janeiro; Menção Honrosa no 64º Festival de San Sebastián | Horizontes Latinos; Melhor Longa (Júri Oficial) e Melhor Atriz (Suely Franco) no 11º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro. 

Em 23 de novembro de 2012, cerca de 200 sem-teto ocuparam o Hotel Cambridge, na Avenida 9 de Julho, no centro de São Paulo. O grupo era parte do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), afiliado à Frente de Luta por Moradia.

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram